O que é diverticulite? Entenda a doença e saiba como evitá-la

Muita gente já ouviu falar da diverticulite, mas não entende que esse processo agudo é apenas parte de um conceito muito mais amplo: a doença diverticular do cólon, que chega a afetar cerca de 5 a 45% da população em países ocidentais.

Se você quer entender mais sobre a diverticulite, o que exatamente são os divertículos e o que pode fazer para evitar esses problemas, é só conferir o nosso post!

O que são divertículos?

Os divertículos são pequenas herniações da parede intestinal que permitem o acúmulo de fezes e bactérias e podem complicar com inflamações, infecções, sangramentos e rupturas.

Embora possam ocorrer em qualquer parte do trato intestinal, os divertículos são muito mais comuns no intestino grosso —  o cólon —, caracterizando a doença diverticular do cólon.

Como os divertículos surgem?

Algumas pessoas já nascem com divertículos, os chamados divertículos congênitos, mas isso é raro. Na maioria dos casos, os divertículos são adquiridos ao longo da vida, como uma parte natural do processo de envelhecimento e do enfraquecimento da musculatura do cólon.

Qual a diferença entre diverticulose e diverticulite?

O diagnóstico de diverticulose indica que o indivíduo tem a doença diverticular do cólon, ou seja, que ele possui divertículos no intestino. Geralmente, trata-se de um achado ocasional no exame de colonoscopia, já que a diverticulose não costuma provocar sintomas.

Já a diverticulite indica que os divertículos estão sofrendo um processo inflamatório agudo, que gera dor abdominal e febre. Trata de uma doença aguda que leva o indivíduo a procurar um serviço médico de emergência.

O que causa a diverticulite?

Quando o bolo fecal fica mais seco e a pessoa é mais constipada, a pressão dentro do intestino aumenta e as fezes se acumulam dentro dos divertículos, iniciando um processo inflamatório. Se além das fezes há a presença de bactérias, o processo inflamatório se torna infeccioso.

Quem tem diverticulite?

A incidência da diverticulose aumenta com a idade, o que torna essa alteração frequente entre pessoas com mais de 50 anos. Dessas pessoas, de 10 a 25% desenvolverão diverticulite, sendo que esse quadro é mais comum em quem apresenta um maior número de divertículos e uma dieta mais pobre em fibras e água.

Quais os sintomas da diverticulite?

  • dor na região inferior esquerda do abdome;
  • febre;
  • náusea;
  • vômitos;
  • calafrios;
  • cólicas;
  • constipação;
  • diarreia.

Como é feito o diagnóstico da diverticulite?

Geralmente, o diagnóstico da diverticulite é clínico, baseado na presença dos sintomas dessa doença em indivíduos que apresentam os fatores de risco. Para confirmar a patologia durante esse processo agudo, pode-se realizar uma tomografia computadorizada abdominal.

A colonoscopia, embora essencial para a visualização dos divertículos, deve ser realizada após a resolução da diverticulite, quando o paciente já estiver se sentindo bem novamente.

E o tratamento?

O paciente com diverticulite costuma ser mantido internado, sem dieta e em uso de antibióticos para que a infecção no intestino seja controlada. Em casos complicados com sangramento, perfuração ou peritonite, pode ser necessário uma cirurgia para retirar a parte do intestino afetada.

Dá para prevenir a diverticulite?

Mantendo um bom funcionamento do intestino, dá para reduzir o risco dos divertículo inflamarem. Para isso, é importante ter uma dieta rica em alimentos com fibras e água e cuidar da saúde em geral, praticando exercícios físicos e controlando o peso.

Gostou do nosso post?  Então compartilhe-o nas suas redes sociais e divida com outras pessoas essas informações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

R. Belo Horizonte, 2607 - Alto Alegre, Cascavel - PR, 85805-020

Ligue agora:

Ligue agora:

(45) 3036-1000

Envie um email para

Envie um email para

faleaqui@genesishospital.com.br